Lhibro d’Horas (Miguel Torga)

Livro de Horas (an Mirandés)

Eiqui, delantre de mi,
you, pecador, me cunfesso
de ser assi cumo sou.
Me cunfesso l buono i l malo
que ban al timon de l barco
neste a la deriba an que bou.

Me cunfesso
possesso
de bertudes teologales,
que son trés,

i de ls pecados mortales,
que son siete,
quando la tierra nun repite
que son mais.

Me cunfesso
l duonho de las mies horas.
L de las facadas ciegas i raibosas,
l de las ternuras lhúcidas i mansas.
I de ser de qualquiera modo
andanças
de l mesmo todo.

Me cunfesso de ser charco
i lhunar de charco, a la mistura.
De ser la cuorda de l arco
q’atira setas arriba
i abaixo de la mie altura.

Me cunfesso de ser todo
que puoda nacer an mi.
De tener raízes ne l chano
desta mie cundiçon.
Me cunfesso d’Abel i de Cain.

Me cunfesso de ser Home.
De ser un anjo caído
de l tal cielo que Dius goberna;
de ser un monstro salido
de l buraco mais fondo de la caberna.

Me cunfesso de ser you.
You, tal i qual cumo bin
pa dezir que sou you
eiqui, delantre de mi!

Miguel Torga – O Outro Livro de Job, Coimbra, 1986, 5ª ed. rev., pp 83-86

2 comentários sobre “Lhibro d’Horas (Miguel Torga)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s